31 julho 2015

Patos tem ação que marca a Semana Nacional de Combate e Controle à Leishmaniose

Iniciativa para conscientizar a população sobre a gravidade da doença e importância da prevenção será realizada, com o apoio da MSD Saúde Animal 
  
A leishmaniose visceral, também conhecida como calazar, é uma doença endêmica no Brasil, transmitida pela picada de um mosquito. A doença é incurável e pode matar o cão e colocar em risco a vida das pessoas que convivem com ele, e tem como principal método de controle a prevenção. Para fornecer informações sobre como cada cidadão pode ajudar a conter o avanço da doença, foi sancionada em 2012 uma Lei Federal que instituiu a Semana Nacional de Combate e Controle à Leishmaniose, celebrada anualmente na semana que incluir o dia 10 de agosto - este ano, acontece entre os dias 10 e 14. A MSD Saúde Animal, referência mundial no controle e na prevenção da leishmaniose visceral canina, apoia esta iniciativa e durante o mês de agosto realizará atividades de conscientização e alerta aos proprietários de cães sobre a importância da prevenção.
 
As atividades da Semana Nacional de Combate e Controle à Leishmaniose deverão esclarecer a população sobre o que é a leishmaniose, como ela é transmitida, seus sintomas e como prevenir que pessoas e animais sejam infectados, orientando a população sobre a importância em combatê-la.
 
No Estado da Paraíba, as ações terão início no sábado, dia 01 de agosto. Nesta data, haverá uma feira de adoção de 140 cães na cidade de Patos. Todos os cães serão encoleirados com Scalibor®, a coleira recomendada mundialmente pelos principais especialistas para proteger os cães daspicadas do mosquito transmissor da leishmaniose visceral. Os cães foram reunidos pelo policial militar Patrian Júnior, que recolhe animais debilitados das ruas, oferece abrigo, alimentação e medicação. Atualmente, Patrian cuida de 140 cães e 40 gatos e recebe ajuda da população e da Prefeitura Municipal de Patos, que doa mensalmente R$ 2 mil e cedeu o espaço para que os animais fossem abrigados.
 
A leishmaniose visceral mata mais do que a dengue. O último levantamento oficial do Ministério da Saúde, do ano de 2013, mostra que de 2010 a 2013, 928 pessoas morreram no Brasil vítimas de leishmaniose visceral, enquanto que 847 morreram por causa da dengue no mesmo período. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde da Paraíba, somente este ano, o estado já teve 21 casos confirmados de leishmaniose em humanos.No mês passado um menino de três anos foi diagnosticado com a doença na Zona Rural da cidade de Conceição, no Sertão paraibano.
 
 
Números da leishmaniose visceral:
 
- É a segunda doença parasitária que mais mata no mundo;
- Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a doença registra anualmente 500 mil novos casos humanos no mundo com 59 mil óbitos;
- Quando não tratada, pode evoluir para óbito em mais de 90% das ocorrências;
- Na América Latina, ela já foi detectada em 12 países e destes, cerca de 90% dos casos acontecem no Brasil, onde, em média, 3.500 pessoas são infectadas e mais de 200 morrem anualmente;
- Pesquisadores estimam que nas áreas endêmicas, para cada humano doente, existam 200 cães infectados.
 
 
Serviço:
Semana Nacional de Combate e Controle à Leishmaniose  - Feira de adoção de cães
Local: R. Godofredo Cunha Medeiros - Centro, Patos
Horário: a partir das 14 horas